13 de mar de 2011

Rodando a Baiana















Rodando a baiana...

Pareço muito quietinha,
tranqüila, muito mansinha,
e até que o sou de fato
- mas não pisem no meu calo,
porque aí eu não me calo,
já vou rodando a baiana
e revidando no ato,
porque ninguém me intimida,
e nem tão pouco me engana,
pois da natureza humana
já muito ensinou-me a vida
- hoje sou cobra criada
e, por isso, desconfiada,
a uma boa distância,
farejo gente fingida,
entendo o que nem foi dito
e leio nas entrelinhas
daquilo que está escrito,
portanto, siga seu rumo,
não queira pagar pra ver,
porque se eu perder o prumo
você vai se arrepender...

(Eloah Borda)


Brincadeira que escrevi, há já bastante tempo, em um tópico de uma comunidade do orkut.