1 de out de 2009

Dualidade




















DUALIDADE

A noite é mágica
povoada de mistérios
- assombrações que inventamos,
de feras que nutrimos
sem saber…

A noite é calma,
suave, silenciosa.
A lua brilha nos céus
mística e bela,
numa luz de marfim
que é quase dia.

O anjo dorme.
A fera se levanta,
misteriosa e sombria
como a noite,
prenhe de energia
como a lua.

Fareja o ar
interrogando as sombras...
Olha ao redor,
sente, pressente, escuta,
e se insinua
por um caminho claro e proibido.

E vai timbrando
com pegadas de pantera,
a trilha azul
do anjo adormecido...


Téia de Borda de Lima
(Todos os direitos reservados à autora)

Um comentário:

Silvana Nunes .'. disse...

Passeandp pela net encontrei o seu cantinho. Gostei e pretendo voltar com mais calma.Aproveito para convidá-la conhecer FOI DESSE JEITO QUE OUVI DIZER... em http://www.silnunesprof.blogspot.com
Paz e Bem.